conteúdo cedido por

Tamoxifeno e Antidepressivos

Dr. João Maurício Castaldelli Maia, Psiquiatra

26 de março de 2012

Caras amigas do Inana,

Muitas de vocês já devem ter ouvido falar, ou até feito uso, do tamoxifeno. Vamos abordar um importante tópico sobre o uso concomitante dessa medicação e de antidepressivos.

A medicação tamoxifeno é uma pró-droga. Ou seja, ela deve metabolizada pelo corpo para se transformar em um metabólito (endoxifeno) que vai produzir os efeitos desejados na modulação hormonal, para o tratamento de parte das neoplasias de mama. Existem muitas outras medicações que são pró-drogas também. Pensando nisso, devemos ficar atentos a uma questão importante quando algum paciente está tomando antidepressivos e tamoxifeno. A utilização de medicamentos inibidores da CYP2D6 (uma enzima importante para a metabolização hepática de diversos medicamentos) em pacientes que estão sendo tratadas com o tamoxifeno, pode afetar de forma negativa os resultados do tratamento para o câncer da mama, pois elas interferem na metabolização do tamoxifeno para o endoxifeno. Algumas mulheres são geneticamente mais suscetíveis à esses efeitos de interação medicamentosa (nome dado quando um medicamento influencia no efeito de outro medicamento). A maioria dos antidepressivos são inibidores fortes, moderados ou leves da CYP2D6.

Devemos ficar atentos a uma questão importante quando algum paciente está tomando antidepressivos e tamoxifeno.

Um estudo observacional de mulheres tratadas com tamoxifeno demonstrou baixas concentrações séricas do endoxifeno (que é o que importa para o tratamento do câncer de mama) em pacientes tratadas concomitantemente com inibidores da CYP2D6, tais como paroxetina e fluoxetina. No tratamento concomitante de tamoxifeno com sertralina e citalopram, os níveis desse mesmo metabólito ativo eram intermediários. Vale ressaltar que a venlafaxina, que não inibe o CYP2D6, teve pouco efeito sobre a concentração desse metabólito. Da mesma forma, seria de se esperar que outros antidepressivos, que não inibem o CYP2D6, tais como fluvoxamina e escitalopram, teriam pouco efeito sobre a concentração do metabolito ativo do tamoxifeno.

É importante tratar a depressão em pacientes com neoplasia de mama. Não devemos parar de usar os antidepressivos em pacientes que estão usando o tamoxifeno. Porém, devemos fazer uma escolha racional do melhor antidepressivo, dentre os disponíveis em cada local, para efetuar o tratamento. Embora os estudos ainda sejam pequenos, parece razoável, segundo a American Psychiatric Association, utilizar antidepressivos que tenham uma inibição fraca da CYP2D6 nesses casos.

Abaixo segue uma pequena tabela publicada no American Journal of Psychiatry sobre o nível de inibição do CYP2D6 pelos antidepressivos mais utilizados.

tabela_fluoxetina

Dr. João Maurício Castaldelli Maia, Psiquiatra

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 2005. Aprimoramento em Psicanálise no Instituto Sedes Sapientae (São Paulo) entre 2006 e 2008. Cursando residência de Psiquiatria na Faculdade de Medicina do ABC desde 2008. Desenvolve linha de pesquisa em Psiquiatria Transcultural, com trabalho apresentado no último Congresso Brasileiro de Psiquiatria sobre a falsa-percepção das pessoas sobre os antidepressivos.

4 comentários para “Tamoxifeno e Antidepressivos”

  1. janaina disse...

    ola boa noite ..eu tomo tamoxifeno e agora estou tomando espram de 10m.tem algum probelma altera algo no tratamento?
    desde ja agradeço.

  2. Dr. João disse...

    Oi Janaína,

    Veja o nome do principio ativo do medicamento e consulte a tabela para do artigo ver o quanto o medicamento inibe o CYP2D6. Quanto menor o nível da inibição, melhor a escolha. Porém, cabe ao médico da paciente avaliar o custo benefício de cada medicação. Em alguns casos, medicações de maior inibição do CYP2D6 podem ser bem-indicadas pelas características individuais do paciente.

    Abs,

    Dr. João

  3. Vera Lúcia Franco Figueiredo disse...

    Olá Dr. João,

    Eu fiz 6 ciclos da quimio F.E.C., 30 sessões de radio e desde agosto tenho feito uso do tamoxifeno 20 mg/dia. Por estar sob o estress do tratamento, ter uma filha de 3 anos com sindrome de down, e passando por uma separação, a minha médica receitou em dezembro/11 a venlafaxina 75 mg/dia. O senhor acha que a dose do venlafaxina está de acordo?
    Obrigada.

    Vera

  4. fatima disse...

    ola eu vou começar toma tomofixeno e tomo anticoncepcional pode ter algumas alteraçoes.

Deixe seu recado

Todo o conteúdo do Portal Inana não têm como objetivo ser um conselho médico ou substituto ao tratamento julgado adequado pelo seu médico.
O objetivo do Inana é disseminar informação e possibilitar trocas de experiências.
Orientamos que todas as decisões referentes ao tratamento sejam tomadas pela paciente e por seus médicos.

| estúdio MAYA |